terça-feira, 3 de abril de 2007

PRESSÃO ARTERIAL



A pressão arterial mantém o sangue circulando no organismo. Tem início com o batimento do coração. A cada vez que bate, o coração joga o sangue pelos vasos sangüíneos chamados artérias. As paredes dessas artérias são como bandas elásticas que se esticam e relaxam a fim de manter o sangue circulando por todas as partes do organismo. O resultado do batimento do coração é a propulsão de uma certa quantidade de sangue (volume) através da artéria aorta. Quando este volume de sangue passa através das artérias, elas se contraem como que se estivessem espremendo o sangue para que ele vá para a frente. Esta pressão é necessária para que o sangue consiga chegar aos locais mais distantes, como a ponta dos pés, por exemplo.
Para conhecimento geral, colocamos em destaque alguns dos componentes do sistema cardio-circulatório:

O coração - é um órgão muscular que fica dentro do peito e que é responsável por bombear o sangue para os pulmões (para ser oxigenado) e para o corpo (suprindo as necessidades de oxigênio e nutrientes) depois que o sangue foi oxigenado nos pulmões. O coração bate em média de 60 a 100 vezes por minuto em situação de repouso. É composto por duas câmaras superiores chamadas de átrios, e duas inferiores, os ventrículos. O lado direito bombeia o sangue para os pulmões e o esquerdo para o restante do corpo.

As artérias - são os vasos por onde o sangue corre vindo do coração. Elas estão distribuídas como se fossem uma grande rede de abastecimento por todo o corpo, podendo ser palpadas em alguns locais, onde estão mais superficializadas. Alguns destes locais são: na face interna de seu punho, na região da virilha e no pescoço. Este movimento ou pulsação, que você sente quando coloca seu dedo, é quando o sangue está sendo empurrado por um batimento do coração e que ocasiona uma determinada pressão dentro do vaso. Em geral as artérias são bem mais profundas, por isso somente em alguns locais é que elas podem ser palpadas. É nas artérias que ocorre o processo da doença da hipertensão.
As veias - são os vasos sanguíneos que trazem o sangue, agora cheio de impurezas, de volta ao coração. Assim como as artérias, elas formam uma enorme rede. A grande característica que diferencia uma veia de uma artéria, é que elas estão mais superficiais e podem ser mais facilmente palpadas e visibilizadas. Além desta diferença,
pode-se citar a composição de sua parede, que é mais fina.

Variáveis diretas:

São medidas obtidas diretamente do paciente. Através das medidas diretas podemos calcular as variáveis indiretas que retratam o desempenho cardíaco.
Frequência cardíaca:
A frequência cardíaca é uma das variáveis mais fácil de ser obtida para a avaliação do estado hemodinâmico. É um componente do débito cardíaco; é um determinante importante do tempo de enchimento diastólico e do volume diastólico final.
A frequência cardíaca pode ser palpada ou obtida pelo monitor de ECG.
Pressões sanguíneas:
Pressão arterial sanguínea:
Pressão arterial sanguínea é a medida da tensão exercida pelo sangue nos vasos durante a sístole e a diástole ventricular. Esta medida pode ser obtida indiretamente através do esfigmomanômetro ou, com melhor acurácia, através de um cateter intra-arterial.
Pressão de artéria pulmonar e pressão de oclusão de capilar pulmonar (POAP):
Com a utilização do cateter de artéria pulmonar podemos obter as pressões sistólica e diastólica da artéria pulmonar (PAP) e a pressão de oclusão da artéria pulmonar (POAP).
A pressão arterial pulmonar sistólica reflete a pressão gerada pelo ventrículo direito durante a sístole. A pressão arterial pulmonar diastólica reflete a pressão diastólica do ventrículo direito na vasculatura pulmonar.
Quando ocluímos a artéria pulmonar através do cateter, estamos eliminando a influência das pressões do lado direito do coração e, a pressão de átrio esquerdo será refletida.
Pressão atrial direita(PVC):
Pressão de enchimento atrial direito ou pressão venosa central (PVC), tanto em mmHg ou cm de H2O, é obtida através de um acesso venoso central. No cateter de artéria pulmonar podemos utilizar a via proximal. Este valor nos informa sobre a função ventricular direita.
Débito cardíaco:
É a quantidade de sangue bombeado pelo coração por minuto. Pode ser medido a beira leito através do método de termodiluição do cateter de artéria pulmonar. O seu valor nos ajuda a avaliar o desempenho cardíaco
DC = FC x VS

Variáveis indiretas:

Estas variáveis são obtidas através das medidas diretas e nos permite avaliar o desempenho cardíaco e valores normais relacionados a massa corpórea.
Pressão arterial média:
A manutenção de uma pressão mínima é necessário para a perfusão coronariana e tecidual.
PAM = PAS + (PAD x 2) / 3
Onde:
PAS = pressão arterial sistólica
PAD = pressão arterial diastólica
PAM = pressão arterial média
Índice cardíaco:
Quando utilizamos o valor do débito cardíaco e relacionamos este a massa corpórea obtemos o índice cardíaco. Esta medida é mais precisa para avaliar a função dos ventrículos. Os valores hemodinâmicos indexados são calculados utilizando a massa corpórea do paciente calculada através do seu peso e da sua altura.
IC = DC/ MC
Onde:
IC
= Índice cardíaco
DC = Débito cardíaco
MC = Massa corpórea
Volume sistólico:
É a quantidade de sangue que será bombeado pelo coração em uma contração. Ele é uma parte da equação do débito cardíaco.
VS = DC /FC
Onde:

DC = débito cardíaco
FC = frequência cardíaca
VS = volume sistólico
Índice do volume sistólico:
com débito cardíaco, o volume sistólico pode ser avaliado com relação a massa corpórea, também conhecido como índice sistólico. Existe duas formas de se chegar a este valor.
IVS = VS/MC ou IC /FC
Resistência vascular:
Resistência é a relação da pressão com o fluxo. É exercida uma pressão ao sangue na vasculatura e este valor representa a pós carga.
Resistência vascular periférica:
Resistência vascular sistêmica (RVS) mede a pós carga ou a resistência do ventrículo esquerdo. A resistência relata a pressão necessária para o fluxo, para isso é medido o gradiente entre o início da circulação (PAm) e o final (AD) e este valor então é dividido pelo fluxo ou DC. Existe um fator de conversão de unidade para força (f=80).
RVS = (PAm - PVC) x 80 / DC
resistência vascular pulmonar:
A pós-carga do ventrículo direito é medida clinicamente pelo cálculo da resistência pulmonar. A forma de medir é semelhante a resistência vascular sistêmica, mede-se o gradiente entre o início da pequena circulação (PAPm) e o final (POAP). Da mesma forma multiplica-se pelo fator de conversão (f=80) para transformar unidade em força.

RVP = (PAPm - POAP) x 80/ DC
Índice do trabalho sistólico:
Índice do trabalho sistólico ventricular esquerdo
É o trabalho executado pelo ventrículo para ejetar o índice do volume sistólico através de um gradiente pressórico na aorta.
ITSVE = (PAm - POAP) x IVS x 0,0136
Onde:
PAm
= pressão arterial média
POAP = pressão de oclusão da artéria pulmonar
IVS = índice do volume sistólico
0,0136 = converte pressão e volume para unidades de trabalho
REFERÊNCIA:

3 comentários:

Antonio Tiago disse...

Parabéns pela iniciativa.

Céu disse...

Obrigada! muito esclarecedor, de forma clara.
Parabéns!

desfeitofeito disse...
Este comentário foi removido pelo autor.